Marca Mercenários Paintball
2007 - Batalha de Monte Castelo



Com quase 400 participantes reunidos no maior evento de paintball já realizado em toda a América do Sul, a Mercenários fez dia 21 de abril de 2007 em Bragança Paulista seu primeiro big game de cenário BATALHA DE MONTE CASTELO, com a presença de representantes do nosso Exército e uma homenagem especial aos pracinhas da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutaram na Segunda Guerra Mundial, representados pelos veteranos de guerra Srs. Junqueira e Normando Bonventti.

Num cenário composto por campo aberto, pedras, colinas, mata, rio e lago, incrementado com 10 tanques de guerra e outros acessórios, recebemos os jogadores vindos dos estados de Sergipe, Bahia, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Para completar a grande diversidade de paisagens e estados, tivemos no mesmo dia ceu muito azul, tempo nublado e uma chuva rápida.
Muito cedo, por volta das 5:00h da madrugada já havia uma fila com vários ônibus esperando a abertura dos portões da fazenda. Finalmente abriram e só então nós descobrimos que as porteiras e estradas da fazenda eram estreitas demais para a passagem dos ônibus onde estavam os gaúchos e cariocas. Mas, com boa vontade tudo se resolve... Os caminhões do exército e do gerador fizeram o transporte dos jogadores com suas enormes malas de equipamentos e, no caso dos gaúchos, de suas caixas de isopor cheias de carne para o churrasco, Tchê!
O pessoal da TV Radikaos da Band Sport chegou bem cedo e fez várias entrevistas, registrando toda a movimentação das "tropas" para os programas de esportes da TV Bandeirantes.
Finalmente, com todos os "soldados" registrados e tendo diminuído as filas imensas no cronógrafo, passamos à cerimônia de abertura do evento: Os jogadores, os soldados do exército que iam jogar e os recrutas do 1o. Tiro de Guerra de Bragança que iam arbitrar, todos pararam em formação diante dos mastros das bandeiras. O tenente Santini e o Sargento Peres do 28 BIL (Brigada de Infantaria Leve) de Campinas fizeram o hasteamento das bandeiras do Brasil de São Paulo e de Bragança Paulista enquanto cantávamos o Hino Nacional e a Canção do Expedicionário. Conforme foi chegando o final da Canção, fizemos soar a sirene e no campo começaram uma série de explosões, dando um clima tão realista que alguns até se emocionaram. Então, os jogadores que haviam sido divididos em 2 exércitos - Alemães e Aliados, entraram em campo para a realização da primeira missão, que era a tomada do forte alemão (lá no alto do morro) pelos aliados que saíram da parte mais baixa do terreno. Apesar do esforço enorme dos aliados comandados pelo General Cauê (Combat Zone - RS) e da boa estratégia que ele desenvolveu, tentando dar a volta no morro para chegar ao forte por trás, eles não conseguiram completar a missão e os alemães liderados pelo General Guilherme (Bragança) foram vitoriosos. Reunimos os soldados alemães em seu QG e fizemos uma boa distribuição de prêmios pela vitória.
 
O sol estava abrazador e fazer com que os combatentes voltassem ao campo para a segunda missão era uma missão difícil até para o general mais durão. A segunda missão era destruir a torre de fornecimento de energia e a metralhadora dos aliados que estava próxima ao lago. Os alemães desceram o morro, deitaram-se nas barricadas naturais formadas nas margens do caminho, foram abrindo para formar um cerco ao aliados. A batalha foi dura, com os soldados utilizando os tanques como proteção. Os jogadores tinham vidas infinitas, tendo apenas que ir até o hospital para serem limpos e retornar ao campo; mesmo assim, os juizes tinham a missão quase impossível de tentar acompanhar a movimentação dos soldados pelo terreno muito acidentado, tentando chegar até as pedras onde eles se escondiam, tomando cuidado para não se ferirem nos desníveis do terreno, enquanto jogadores esbravejavam pedindo paint check, ignorando muitas vezes a regra básica seguida por jogadores de cenário no mundo todo que é o Fair Play, já que é completamente inviável para qualquer juiz manter uma fiscalização eficiente num terreno muitos quilômetros quadrados de área e quase 400 jogadores. Os Aliados conseguiram defender e segurar suas posições, impedindo o avanço dos alemães, assegurando a vitória e os muitos prêmios distribuídos ao exército vencedor da missão.
O tempo nublou, e caiu um chuva que na verdade foi uma bênção refrescante para os pobres soldados que tinham que caminhar por aqueles morros. Porém, para garantir a segurança - apesar de contarmos com o pessoal do resgate que estava no estacionamento e mais três especialistas em primeiros socorros que se encontravam no campo - achamos melhor modificar a missão para que os jogadores com os pés cheios de barro não tivessem que subir nos tanques molhados para capturar as bandeiras, o que poderia causar escorregões e quedas. Transformamos esta missão numa batalha campal, um mata-mata que para mim, que estava dentro do campo para fotografar, gerou uma das visões mais impressionantes que eu já vi em jogos de paintball! A sirene tocando, centenas de jogadores se movimentando, como uma verdadeira guerra, debaixo de uma chuva fina que só fazia aumentar a sensação de combate. Acho que estas cenas ficarão gravadas para sempre na minha memória. Foi emocionante! Após um combate feroz onde parecia que cada um realmente lutava por sua vida, novamente os aliados foram os vencedores, ganhando ainda mais prêmios que foram arremessados aos jogadores fazendo com que todos pulassem e se acotovelassem para agarrá-los numa grande euforia.

No final de tudo, reunimos todos os jogadores para os sorteios de prêmios. A grande expectativa era para ver quem levaria a X-7 da Tippmann. Os nomes de absolutamente todos os participantes estavam dentro de um saco e conforme iam sendo sorteados tinham os nomes retirados para dar chance a todos igualmente. Por isso, o primeiro prêmio sorteado foi a X-7, para que todos os nomes ainda estivessem lá. Saiu o primeiro nome e o sortudo não estava mais lá! Sorte dos outros que voltaram a ter esperanças... O Alessandro, dono do Niterói Paintball, RJ, foi o escolhido para fazer o sorteio. Tirou o papelzinho e lá estava o nome do senhor Genivaldo Paixão Praxedes, jogador de Campinas, SP, da velha guarda do paintball, que tinha um time chamado Platoon. Seguimos com o sorteio de muitos outros prêmios, como jerseys camuflados Tippmann, camuflagens Renegade e muito mais. Em meio ao sorteio atirávamos mais brindes, como cintos Dye, Barrel Socks Adventure, revistas Portal Paintball, luvas, speed tubes (pods), etc. Foi a maior distribuição de prêmios e brindes que já vi... uma festa!


Realizar este evento foi um grande desafio para nós da Mercenários. Algo jamais realizado antes, com o maior número de jogadores já reunidos na América do Sul, com a maior quantidade de representantes de estados - 10 no total - que já houve no Brasil. Várias pessoas deram colaborações valiosas na realização deste evento. Nossos sinceros agradecimentos à TIPPMANN ®, ao Guilherme e Alexandre Cardenutto da LPPC, Exército - 28. BIL e 1o. Tiro de Guerra, Adventure, Scubatech, Scubalab, Cauê do Combate Zone - RS, Alessandro do Niterói Paintball - RJ e a todos que direta ou indiretamente nos ajudaram a tornar possível este evento. Foi um prazer enorme receber tantos jogadores, muitos vindos de tão longe para prestigiar a Batalha de Monte Castelo.

Eventos Saiba onde Jogar Monte seu Campo COnheça nossa Loja Time

Criação: Vini